domingo, 25 de setembro de 2016

'Cartinhas para a Cegonha' fala sobre as expectativas de tentar engravidar

Depois do sucesso no Instagram, as dúvidas, descobertas e alegrias de uma mulher que enfrenta uma longa espera para conseguir ficar grávida agora estão publicadas no livro “Cartinhas para a Cegonha”. Na rede social, a jornalista Amora Xavier escrevia para a personagem fictícia, perguntando por que a gravidez estava demorando para chegar. Na publicação, as dúvidas compartilhadas com 15 mil seguidores ganharam respostas da Cegonha a partir de orientações técnicas de profissionais do Fertilitat – Centro de Medicina Reprodutiva.

Nas mensagens publicadas na internet, a escritora, nascida em Pelotas e hoje residindo no Rio de Janeiro, relatou dificuldades, angústias e expectativas até descobrir, depois de diferentes exames, o problema que a impedia de ter filhos. Numa das consultas ao seu médico, Amora comentou que escrevia para a cegonha sobre suas dúvidas e preocupações.

– Mostrei umas cartinhas para o meu médico. Uma hora depois ele me ligou, encantado – lembra Amora.

A partir daí, nasceu a parceria com o Fertilitat, clínica fundada há 29 anos em Porto Alegre, para transformar as mensagens virtuais em livro. Além de um testemunho pessoal, a publicação traz esclarecimentos às tentantes, como são chamadas as mulheres que tentam engravidar, tanto em aspectos emocionais quanto em questões clínicas e psicológicas. Os textos, em linguagem agradável e direta, encantam as futuras mamães e também servem de subsídios para médicos envolvidos na área.


Tratamentos de fertilização in vitro, indução, coleta de óvulos, além de dúvidas sobre o ciclo menstrual têm esclarecimento técnico nas respostas. Na cartinha “Mudança no estatuto”, por exemplo, sobre os sintomas emocionais e físicos da gravidez, os especialistas explicam como diferenciar os sintomas da tensão pré-menstrual (TPM) e da gravidez, além de citar cuidados que a mulher precisa ter para engravidar.

– A publicação é importante para desmitificar dúvidas que as pessoas ainda têm, por mais que a reprodução assistida tenha evoluído. As respostas também ajudam a diminuir a ansiedade de mulheres que enfrentam uma longa espera até engravidar – afirma o médico Alvaro Petracco, diretor do Fertilitat, clínica pioneira em reprodução assistida no Rio Grande do Sul.

Publicado pela AGE Editora, o livro de 200 páginas em papel couchê é ilustrado com aquarelas poéticas de Luisa Simão, que Amora conheceu nas trocas de mensagens na rede social. As cenas sempre mostram a Cegonha envolvida em algum tema citado na cartinha. O casamento entre textos e imagens torna a narrativa cativante, fazendo o leitor entrar no mundo de Amora e torcer pela chegada da Cegonha.
Read More

sábado, 24 de setembro de 2016

Caixa de Correio #46

Oi gente, tudo bem com vocês? Nesse post eu mostro um pouco dos livros que chegam aqui em casa, recebidos das editoras e de promoções e também algumas comprinhas literárias. Olha só:

Recebi da assessoria da Editora Aleph essa edição maravilhosa de O Perfuraneve, HQ francesa de Lob, Rochette e Legrand. O livro vem com a luva do filme O Expresso do Amanhã, que foi baseado na história. O Chris Evans na capa é mero detalhe! <3

Estive em Itajaí - SC visitando amigos e por lá comprei Caveira Vermelha - Encarnado em uma das filiais da Livrarias Catarinenses. Já li essa HQ e logo vou fazer resenha por aqui. Para quem não lembra, o personagem é um dos vilões da Marvel, e aparece no filme Capitão América: O Primeiro Vingador.

Comprei na banca aqui da minha cidade mais um HQ do Bucky. Para quem não sabe, o Soldado Invernal é um dos meus personagens favoritos da Marvel, e toda vez que encontro quadrinhos dele acabo comprando imediatamente para aproveitar, já que eles são tão difíceis de encontrar. 

Compre uma HQ bem antiga da Batgirl na minha última visita ao sebo. Uma história curtinha, mas muito interessante, e o melhor: um precinho camarada.

Recebemos na redação do jornal onde trabalho esses dois livros: Um Beijo no Teu Sorriso, de Júlio César Rocha e Desculpa, mãe! de Rita Ferro.

Ganhei A Garota da Capa Vermelha e esse monte de marcadores lindos em uma promoção do blog Momento Crivelli. Obrigada Denise! Eu já li o livro há uns 4 anos atrás, mas ainda não tinha uma edição.

Comprei O Andar do Bêbado, de Leonard Mlodinow no sebo, é um livro que fala sobre física e sobre o acaso e me parece interessantíssimo. Já este Dicionário de Cultura Literária eu adquiri numa livraria daqui de Santa Cruz do Sul. O segundo eu já li, mas não tenho certeza se vou fazer resenha, porque é meio difícil. ahaha

Comprei o terceiro volume de Outlander, O Resgate no Mar - Parte 1. Se você acompanha o blog talvez lembre que eu comprei o quarto livro antes deste, e tive que esperar até conseguir seguir com a leitura desta série maravilhosa da Diana Gabaldon.

Comprei na banca Homem-Formiga: Mundo Pequeno de Tim Seely, e Ms. Marvel: Questões Mil numa banca. A primeira HQ eu já li e vou resenhar logo, porque ela é ótima! A primeira parte de Ms. Marvel já tem resenha aqui no blog. 

Ganhei da autora Angelita Borges uma edição do novo livro dela, Agora Já Contei. Ele é cheio de contos engraçados e fofos sobre o cotidiano, e adorei a leitura. Logo vou publicar minha resenha por aqui. Cegou pelo correio o livro  Adeus, Promessas, de Kristin Halbrook, que ganhei em uma cortesia no Skoob.

Ganhei de presente da Neca e do Hugo, meus amigos, o Fahrenheit 451, do Ray Bradbury e também o Lágrimas na Chuva, do Sergio Faraco. 

E vocês, o que tem recebido de bom??
Read More

sábado, 17 de setembro de 2016

Miniaturas inéditas da Turma da Mônica chegam às bancas


Pela primeira vez nas bancas das regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sul e em Minas Gerais, você poderá ter uma coleção exclusiva de miniaturas da Turma da Mônica. A Editora Salvat lançou na última terça (13), fascículos inéditos dos personagens mais famosos dos quadrinhos no Brasil, acompanhados com miniaturas exclusivas. A entrega é feita pela Total Express, empresa de logística do Grupo Abril.

Você pode, ainda, aprender muito sobre a Magali, Mônica, Cebolinha, Cascão e sua turma, com os volumes exclusivos desenvolvidos em parceria com a Maurício de Sousa Produções. No total, são 60 edições, cada uma com um personagem e uma história sobre a sua criação. As duas primeiras terão preços promocionais de R$ 9,90 e R$ 29,90, respectivamente. As seguintes custam R$ 49,90 cada.

Os produtos colecionáveis representam cerca de 20% do faturamento com bancas de revistas da Total Express, responsável pela distribuição da coleção.
Read More

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

5 filmes e séries com Karl Urban

Karl Urban é hoje um dos atores mais geeks da atualidade – o neozelandês participou de algumas das produções mais importantes da cultura pop nos últimos anos, entre elas Star Trek e O Senhor dos Anéis –, e estará presente na próxima edição da CCXP – Comic Con Experience, que acontece entre 1 a 4 de dezembro no São Paulo Expo. Confira a galeria com os trabalhos no cinema e na televisão mais importantes do ator, que estará no evento sábado (03/12) e domingo (04/12) participando de painéis e de sessões de fotos e autógrafos com os fãs.

Jornada nas Estrelas


Em 2009, Urban foi escalado para viver o mais conhecido personagem de sua carreira: o icônico Dr. Leonard “Magro” McCoy, médico oficial da nave USS Enterprise na renovação da franquia Star Trek nos cinemas. Fã da série desde a infância, Urban fez de tudo para ganhar o papel e teve desempenho foi muito valorizado pelo fandom de Jornada nas Estrelas graças à sua fidelidade ao trabalho de DeForest Kelley, o “Magro” original. Em 2013, reprisou o papel em Além da Escuridão: Star Trek e volta esse ano ao personagem com Star Trek: Sem Fronteiras.

Almost Human


A série de 2013 mistura o estilo Buddy Cop (inspirado em filmes como Máquina Mortífera e Bater ou Correr) com ficção-científica arrancou elogios da crítica especializada e do público – no site Metacritic, Almost Human alcançou a nota de 8,5, usada para avaliar a recepção dos espectadores. Nela, o ator interpreta o problemático policial John Kennex, que precisa aprender a lidar com seu novo parceiro, o robô conhecido como Dorian (interpretado por Michael Ealy).

Dredd


Um dos personagens de quadrinhos mais famosos e influentes dessa geração – criado para a revista britânica 2000 AD em 1977 – já tinha ganhado uma versão para o cinema, encarnado por Sylvester Stallone em 1995. O filme, porém, não correspondeu à expectativa do público. Em 2012, foi a vez de Urban interpretar o juiz e executor de Mega City One. Com boa arrecadação nas bilheterias, o filme logo ganhou o status de cult por conta da fidelidade com a obra original.

O Senhor dos Anéis


O cavaleiro Éomer de Rohan é um dos personagens mais heroicos e importantes da saga O Senhor dos Anéis, e Urban conseguiu dar vida ao personagem de forma muito satisfatória. Apresentando-se ao público a partir do segundo filme, As Duas Torres, Éomer encerra sua participação na trilogia como Rei de Rohan após participar das duas principais batalhas da Guerra do Anel – a do Abismo de Helm e a dos Campos de Pelennor.

Hércules e Xena


Karl Urban debutou na televisão com oito anos de idade e sempre esteve envolvido no meio artístico. Entre 1996 e 2001, o ator fez diversas participações em dois dos seriados de TV mais emblemáticos para os fãs de ficção e fantasia: Hércules e seu spin-off, Xena, A Princesa Guerreira – ambos fizeram muito sucesso no Brasil com exibições no SBT e na Record.

Bônus! Universo Marvel


 
Um dos próximos lançamentos da Marvel Studios também conta com a participação de Karl Urban, que interpretará o vilão Skurge, o Executor em Thor: Ragnarok, com estreia prevista para 2017. Na trama original, ele é um super-vilão asgardiano comumente usado nos esquemas bolados por Loki.
Read More

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Primeiro volume da trilogia “Palavras de Poder” está de volta às livrarias

A editora Alaúde lança edição atualizada do primeiro volume da trilogia Palavras de poder, de Lauro Henriques Jr., sucesso de vendas que estava esgotado.

No momento conturbado que o Brasil e o mundo vivem hoje, quando o diálogo e o respeito às diferenças estão perdendo terreno para as discussões cegas e a intolerância, a reedição do primeiro volume da trilogia Palavras de poder representa um belo contraponto de sabedoria e compreensão. A trilogia é um projeto do jornalista mineiro Lauro Henriques Jr., no qual apresenta uma série de entrevistas que realizou com os grandes mestres da espiritualidade e do autoconhecimento no mundo.

O primeiro volume é dedicado aos mestres brasileiros. Ao todo são 14 conversas entremeadas com lendas, contos e casos fabulosos que trazem como pano de fundo os ensinamentos das mais variadas correntes de pensamento da espiritualidade.

Nelas, os leitores têm a oportunidade de “conversar” com: Monja Coen; Professor Hermógenes, o maior nome da ioga no Brasil; o médium Divaldo Franco; Ian Mecler, que versa sobre os ensinamentos da Cabala; o médico e psicoterapeuta José Ângelo Gaiarsa; o teólogo Leonardo Boff e outras personalidades como Lia Diskin, José Ângelo Gaiarsa, Alex Polari, Artur Andrés, Dom Pedro Casaldáliga, Gudrun Burkhard, Chandra Lacombe, Roberto Otsu e Susan Andrews.

Pelos nomes envolvidos, dá para se ter uma ideia da gama de assuntos abordados, todos com, ao mesmo tempo, simplicidade e profundidade. As conversas transmitem o conhecimento sob o prisma de diferentes correntes religiosas e filosóficas. O leitor vai encontrar informações sobre budismo, cabala, cristianismo, espiritismo, mediunidade, compaixão, sofrimento, relação corpo e mente, família, ego, relacionamentos, aspirações, entre outros tópicos.

O formato e a linguagem fazem com o que o livro seja de fácil acesso a todos que almejam refletir, aprender um pouco mais sobre si mesmos e buscar um sentido maior sobre o que é estar no mundo. O leitor pode ler a obra na ordem original das entrevistas aparecem, começando pelos personagens com que mais se identifica ou, ainda, abrindo aleatoriamente em uma página qualquer para colher alguma semente de conhecimento.

Como fechamento de cada entrevista, o autor propôs as mesmas três questões a todos: “Qual deve ser a oração de cada pessoa para começar o dia?”, “O que é uma pessoa virtuosa?”; “Até hoje, qual foi o seu maior aprendizado na vida?”.

Há também a seção “Mesa Redonda”, na qual o leitor acompanha uma espécie de corrente de comunicação entre as pessoas entrevistadas: cada uma delas gentilmente elaborou uma pergunta para ser respondida por outra. Ao final do livro, a impressão que fica é a de que a verdadeira palavra de poder é o diálogo.
Read More

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Heroísmo sem limites! Conheça cinco personagens da cultura pop com deficiência física

A cidade do Rio de Janeiro realiza a edição dos Jogos Paralímpicos de 2016, reunindo 176 países em 23 modalidades esportivas. O evento poliesportivo é reconhecido pelas histórias de superação e determinação que envolvem os competidores. Contudo, esse heroísmo não é exclusivo do mundo real: personagens de ficção também lidam com deficiências físicas no combate aos crimes. O Omelete traz os cinco personagens deficientes mais conhecidos da cultura pop. Confira: 


Professor Xavier
Mentor e líder dos X-Men e considerado o telepata mais poderoso da Terra, Charles Francis Xavier tornou-se o herói com deficiência mais conhecido da cultura pop. Sua primeira aparição foi na edição 1 da revista Uncanny X-Men, de 1963. Ele ficou paraplégico pela primeira vez ao enfrentar o alienígena Lúcifer em uma caverna no Himalaia quando ainda era jovem. Voltou a andar muito tempo depois quando seu corpo foi infectado pela Ninhada e seu cérebro teve que ser transferido para um clone sadio. Contudo, durante uma batalha contra o Rei das Sombras, sua coluna foi esmagada e o deixou novamente na cadeira de rodas.

Demolidor
Quando ainda era criança, Matthew Murdock ficou cego ao salvar um homem de um acidente de caminhão com carga radioativa na Cozinha do Inferno, bairro de Nova York onde ele cresceu. Entretanto, a perda da visão deixou os outros quatro sentidos aguçados – transformando-o no super-herói Demolidor. O personagem se tornou uma das figuras mais conhecidas das HQs e ganhou versões em outras plataformas, como videogame, TV, cinema e Internet (incluindo a recente série no Netflix). Sua primeira história surgiu em abril de 1964, com a revista que leva seu próprio nome.

Oráculo
Filha do Comissário Gordon, Barbara Gordon era uma bibliotecária durante o dia e ajudava a combater o crime de Gotham City como Batgirl, até levar um tiro à queima-roupa do Coringa e ficar paraplégica. Mas nem mesmo essa deficiência física a impediu de lutar pelo bem. Com sua inteligência e um enorme conhecimento sobre computadores, ela adotou o nome de Oráculo e passou a atuar como fonte de informação para outros super-heróis e agentes da lei na resolução de diversos casos. A personagem apareceu pela primeira vez em 1967, na revista Detective Comics como Batgirl. Apenas em 1988 ela passou a se chamar Oráculo.

Eco
Surda, Maya Lopez levava uma vida feliz com o pai até ele ser assassinado pelo Rei do Crime, antigo sócio da família. Enganada pelo vilão, a jovem passou a conviver com ele e a tramar a vingança contra o Demolidor, que acreditava ter sido o assassino do pai. Com a extrema habilidade de copiar as técnicas de lutas dos rivais e de ler lábios, tornou-se Eco e virou uma das principais vilãs das histórias em quadrinhos. Ao descobrir a farsa, mudou de lado e passou a combater crimes. Sua primeira aparição foi na edição número nove da revista Demolidor Vol. 2, de 1999.

Cyborg
Nascido Victor Stone, o herói era um atleta de futebol americano que, por conta de uma explosão, perdeu grande parte de seu corpo. Graças ao seu pai cientista, conseguiu substituir a massa perdida por componentes robóticos e tornou-se meio-humano e meio-máquina. Criado pelas lendas Marv Wolfman e George Perez, o Cyborg está entre os heróis mais populares da DC Comics nos últimos anos. Nos quadrinhos, é o ex-líder dos Novos Titãs e membro fundador da Liga da Justiça desde o reboot dos Novos 52, em 2011. Inspiração para as crianças, Cyborg fez (e faz) muito sucesso na animação de TV Os Jovens Titãs.
Read More

HQ traz surfista com deficiência física como protagonista

A saga, ambientada em Natal, no Rio Grande do Norte, conta a história de Irene, uma jovem surfista negra que perdeu parte de uma das pernas num ataque de tubarão. Com um clima mais dramático que “As Empoderadas”, título de estreia do selo, a HQ de Milena Azevedo, traz à tona a questão do deficiente físico, numa protagonista que sofre com fantasmas de seu passado e que passará por uma experiência extraordinária ao ser transportada para um mundo paralelo.

A novidade deste quadrinho é que por ter um linguajar próprio dos potiguares, além de diversas gírias do mundo do surf – o próprio título “Haole” significa, entre os surfistas, alguém que pega onda numa praia fora da sua – logo na primeira página, há um glossário para ninguém ficar “boiando” na história.

O selo Pagu Comics foi criado com o intuito de fomentar a produção feminina no gênero e foi anunciado em 08 de março, no Dia Internacional da Mulher. O nome é uma homenagem à poeta Patrícia Galvão, a Pagu, que além de ser uma importante personagem na luta das mulheres, também era cartunista.

A coordenação editorial é da roteirista Ana Recalde, autora de “Beladona”, HQ que ganhou o Troféu HQ Mix como Melhor Web Quadrinho de 2014. Além de “As Empoderadas”, de Germana Viana e “Haole”, mais duas histórias serão lançadas pela Editora Cândido em 2016 dentro do Social Comics, com roteiros criados por Cris Peter e Roberta Araújo.

Além das publicações desta editora, os assinantes também podem conferir quase 2.500 histórias em quadrinhos no formato digital. Para ter acesso a todo acervo, basta assinar o Social Comics por R$ 19,90 por mês. A plataforma digital, lançada em 2015 e pertencente ao Omelete Group, tem o objetivo de fomentar a indústria nacional de Histórias em Quadrinhos, utilizando o mesmo conceito do Netflix, mas para HQs. Os usuários podem testá-la por 14 dias gratuitamente.
Read More

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Livro critica suposta perfeição das relações sociais

Refletir sobre o que se esconde por trás das aparências, essa é a proposta do novo livro da escritora Cláudia Marczak. Intitulado “O mundo perfeito”, o romance tenta representar um dos grandes dramas da sociedade, a autoimagem das classes sociais.

A obra conta a história de Luísa, uma mulher linda, atraente, mãe de dois filhos, casada com um importante empresário rico, bonito e charmoso. Mesmo com empregados fazendo todas as coisas por ela e aquela vida que seria o mundo perfeito para muitos, para a personagem, nada disso a fazia se sentir completa nem feliz.

Porém, todo o conceito sobre perfeição entra em choque quando a Luísa toma determinadas decisões que mudam a sua vida, deixando-a cada vez mais confusa.

Segundo Marczak, o livro indaga sobre a suposta "perfeição" das relações sociais superficiais que existem hoje. Para ela, vivemos num mundo em que todos mostram ser perfeitos e felizes. Porém, essa fachada perfeita esconde sentimentos e sensações que as pessoas tentam ocultar. “O romance promove um olhar para essas imperfeições sombrias e ocultas do ser humano”.
 

Inspiração literária

A escritora diz que a fonte para inspiração do seu trabalho vem de obras de Clarice Lispector, Nelson Rodrigues e Fernando Pessoa. Por esse motivo, seu desejo é sempre inquietante. Para ela, seus livros não podem passar uma sensação de indiferença. “Quero mobilizar o leitor através de sensações e surpresas que vão surgindo no decorrer da história”.

- Cada momento da minha vida pede um texto diferente. Fernando Pessoa, por exemplo, resume bem essa sensação através dos heterônimos, cada qual com um olhar diferente do mundo. Um texto apenas me acorrentaria. A literatura tem o dever de libertar - relata.
Read More

Conteúdo Relacionado

© 2011 Uma Leitora, AllRightsReserved.

Designed by ScreenWritersArena