terça-feira, 18 de setembro de 2018

A história do perfume mais famoso do mundo

Baseado em fatos reais, o romance Mademoiselle Chanel e o cheiro do amor recria a atmosfera glamourosa da Paris dos anos 1920, iluminando um momento pouco conhecido da vida de Gabrielle Chanel. A obra, que vendeu mais de 100 mil cópias na Alemanhã, inicia exatamente onde o filme "Coco" termina: quando, aos 38 anos, consagrada como estilista revolucionária e uma feminista avant la lettre, Coco sofre uma grande perda com a morte de seu amante Boy Chapel. 

Nem mesmo a valente estilista resiste à notícia – fica deprimida, tranca-se em seu quarto, recusa convites, desiste da vida! Com a ajuda de sua grande amiga Misia Sert, e a partir da ideia da criação de um perfume próprio, Gabrielle motiva-se a continuar, a seguir em frente, procurando fazer algo diferente, a encontrar uma fragrância única e exclusiva!

Para isso estuda e pesquisa muito até se inspirar no perfume de Catarina ii, Imperatriz da Rússia, que conhece por meio do grão-príncipe russo, Dimitri Romanov, com quem vive uma nova aventura. 

Em sua busca pelo aroma perfeito, Coco, vai reunir 80 componentes, entre os quais a rosa de maio, a flor ylang ylang, odores sintéticos e de animais, que juntos celebram a nova mulher e sintetizam o cheiro do amor.
Read More

Sobreviva ao apocalipse com 6 dicas da escritora Ana Beatriz Brandão


O apocalipse, que dizimará grande parte da população mundial e que desafiará a sobrevivência dos grupos restantes, irá acontecer. Isso é fato. E estar preparado para enfrenta-lo já é o primeiro passo para chegar mais longe no jogo da sobrevivência.

É esse enredo que a escritora best-seller Ana Beatriz Brandão apresenta no livro Sob a Luz da Escuridão, pela Verus Editora. A trama apresenta o antagonista Leonard Travis Goyle, que tinha a intenção de criar uma raça perfeita, dizimando nações e etnias inteiras por longos 50 anos, na chamada Terceira Guerra Mundial. Grupos de resistência foram formados e deram origem à Quarta Guerra Mundial, que resultou na morte do ditador. Agora, a luta pela sobrevivência é um dos maiores desafios. Mas como sobreviver em uma sociedade devastada, em uma verdadeira terra sem leis e nem governo?

Para isso, separamos algumas dicas básicas para resistir nesse cenário de caos e incertezas:

  1. Estoque suprimentos para sobreviver por dias. Quando o apocalipse chegar, as cidades viverão um verdadeiro colapso, e a busca por mantimentos será cada vez mais difícil. Por isso, uma estabilização e autossuficiência será primordial para se manter vivo.
  2. Guarde somente o necessário. Com a hecatombe eminente, a sobrevivência será a única prioridade das pessoas, e para isso é preciso ter o necessário para sobreviver independente do lugar. Por isso é preciso abrir mão de alguns objetos que já perderam seu valor e que só ocupam espaço. Então deixe o videogame ou as revistinhas de fofoca para trás e abra espaço para as garrafinhas d’água e para as barrinhas de cereais.
  3. O que deve conter no kit de sobrevivência básico? A alimentação é sempre muito importante, por isso aquela comida enlatada que só se via em filmes é uma ótima pedida, ainda mais acompanhada de uma água para hidratar. Analgésicos também são importantes, acredite você vai precisar. Ah, levar uma arma que saiba usar é uma boa opção, além de um canivete mil e uma utilidades.
  4. Tenha um sistema de comunicação. Com um apocalipse batendo a porta, os meios de comunicação deixarão de existir. Porém, é primordial que se tenha maneiras que permitam a comunicação com outros seres vivos. Afinal, nunca se sabe quem estará do outro lado do walkie-talkie.
  5. Aprenda a caçar. Os grupos de sobrevivência serão cada vez menores, e dificilmente aceitarão abrigar um estranho no ninho. Sendo assim, é importante saber se virar sozinho. Quando o estoque de comida acabar, a caça será a melhor maneira de consumir uma proteína.
  6. Leve seu livro favorito. No meio de todo o caos e maluquice, é sempre bom guardar um tempinho para manter a sanidade e revigorar as energias. Um bom livro sempre é uma bela pedida, afinal a leitura nos faz esquecer nossos maiores problemas, mesmo aqueles quem batem em nossa porta com superpoderes ameaçadores.



Sobre Sob a Luz da Escuridão: O mundo não está a salvo dos humanos... Da autora de O Garoto do Cachecol Vermelho. Guerras e destruição, causadas pela ganância de um homem, quase levaram a raça humana à extinção. Com a radiação das bombas nucleares, o DNA humano sofreu mutações e uma nova espécie surgiu: os metacromos, seres especiais, com poderes extraordinários. Em meio ao caos de um mundo pós-apocalíptico, Lollipop e Jazz são resgatadas do instituto onde eram mantidas prisioneiras. Com as memórias apagadas, elas não sabem por que estavam ali nem quem as libertou. E, enquanto buscam respostas sobre suas origens, só lhes resta lutar pela sobrevivência. Evan, um vampiro milenar, lidera com mãos de ferro uma das mais poderosas áreas do planeta. Mas quando, por obra do destino, ele reencontra a mulher que pensou estar morta há décadas, tudo desmorona e ele é obrigado a enfrentar o passado. Ana Beatriz Brandão apresenta um mundo totalmente novo ao leitor em Sob a luz da escuridão. A raça humana não é mais a mesma, novas espécies foram criadas e agora é cada um por si. Uma história eletrizante, cheia de ação, tensão e romance, que vai provocar fortes emoções no leitor. Prepare-se e escolha seu lado nessa guerra: você é um metacromo ou um Deles?
Read More

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Autora best-seller na Amazon lança primeiro volume de nova série

A Dívida, nova obra de Lani Queiroz, autora de sucessos como as séries Príncipes DiCastellani e Rock I’m Rio, chega a plataforma da Amazon acompanhada de muita expectativa dos fãs. Com apenas alguns capítulos publicados no Wattpad, o livro já conseguiu o topo do site na categoria de livros hot.

Primeiro volume da série Turbulência, A Dívida apresenta o personagem de Heitor Camargo Maxwell, CEO de um conglomerado brasileiro de linhas aéreas em São Paulo. Heitor é um homem frio, implacável e cínico, que respira negócios. Aos trinta e sete anos nunca se permitiu viver nada além de sexo casual. Ele gosta de sua liberdade, mas, a necessidade de produzir um herdeiro se faz cada vez mais urgente à medida que o tempo passa.

No entanto, o poderoso Maxwell é enganado por um antigo parceiro de negócios e acaba perdendo milhões. É então que o CEO vê sua oportunidade de vingança e, de quebra, obter um herdeiro se casando com uma das filhas do homem que o traiu. Ele não quer amor. Essa não será uma união feliz, apenas um meio para um fim. Porém, tudo pode mudar quando o homem frio se vê diante da jovem, bela e doce Sofia.

Sofia é uma jovem de dezoito anos, com muitos sonhos. O principal deles é se tornar uma bailarina reconhecida mundialmente. Quando se depara com Heitor, o homem mais bonito e intimidante que já viu, ela não tem ideia de que sua vida será destruída e seus sonhos adolescentes não existirão mais. Entregue por sua própria familia como pagamento de uma dívida, acaba tornando-se a esposa troféu do impiedoso empresário. Sofia promete ser fria como um iceberg para o marido, mas derrete-se com o toque que a faz irrevogavelmente sua mulher. Ela o odeia, mas, ama ser tomada por ele noite após noite.

Com uma trama cheia de intrigas, romance e reviravoltas, A Dívida tem tudo aquilo que os fãs de obras eróticas desejam.
Read More

Milton Hatoum conquista o Juca Pato 2018


No próximo dia 18 de setembro, às 19 horas, será realizada na Biblioteca Mário de Andrade a cerimônia de entrega do prêmio Juca Pato da União Brasileira de Escritores (UBE) a Milton Assi Hatoum. 

“A escolha da UBE recaiu sobre um grande escritor brasileiro, membro da UBE, pelo romance ‘A Noite da Espera’, que é de altíssima qualidade e de leitura obrigatória. Hatoum é um dos maiores escritores de todos os tempos”, comenta Durval de Noronha Goyos Jr, presidente da UBE.

Hatoum formou-se arquiteto, já foi professor – tanto de arquitetura quanto de literatura – e sempre gostou de ler e escrever. Como escritor, profissão esta que hoje é sua principal fonte de renda, obteve reconhecimento por meio de prêmios, traduções, adaptações, teses, pesquisas e fidelidade de seus “bons leitores”. Já escreveu poesia, crônicas, contos e romances. 

Hatoum começou com “Relato de um Certo Oriente” (1989) e, na sequência, vieram “Dois Irmãos” (2000) e “Cinzas do Norte” (2005). Reuniu contos em “A Cidade Ilhada”, em 2006, e escreveu a novela “Órfãos do Eldorado”, em 2008; suas crônicas estão em ”Um Solitário à Espreita”, de 2013. 

No ano passado, lançou “A Noite da Espera”, primeiro livro da trilogia “O Lugar Mais Sombrio”, e já trabalha para finalizar o segundo (previsto para o início de 2019), revelando ter várias outras “inquietações” (entre elas, talvez mais um livro de contos e um segundo volume de crônicas). 

"Eu fiquei surpreso por ter sido escolhido! A gente nunca espera e nem escreve para ganhar prêmios. Costumo dizer que o grande prêmio do escritor é o leitor talentoso; um bom leitor. Mas fico honrado, pois é um prêmio que já foi dado a grandes intelectuais brasileiros. Alguns eu tive o grande prazer de conhecer e conversar, a exemplo de Antonio Candido, e outros grandes que já ganharam o Juca Pato", comentou Hatoum, acrescentando que gosta de todos os gêneros. 

"Gosto da literatura, gosto do teatro também. Mas quando penso numa história, e ela não cabe num conto, passo para o romance. Então eu não tenho um gênero preferido, embora considere a poesia como o grande gênero da literatura. A poesia é o mais difícil. Ela pede um ritmo, um tom e uma construção muito particulares que só poucas pessoas conseguem. Eu escrevo poesia clandestinamente, nunca me interessei em publicá-las – acho que nem devo, no momento. Mas os poetas talentosos têm alguma coisa de mago. É difícil dizer ‘eu quero ser poeta’. Você é poeta. Como dizia Bandeira, o poema se escreve", finaliza.
Read More

sábado, 15 de setembro de 2018

Novo livro de George R. R. Martin no Grupo Companhia das Letras


O Grupo Companhia das Letras adquiriu os direitos de publicação de Fire & Blood, do escritor americano George R. R. Martin. No Brasil, o título do volume será Fogo & Sangue e o lançamento está confirmado para novembro de 2018, em data simultânea à publicação nos Estados Unidos.

Situado três séculos antes dos eventos da série As Crônicas de Gelo e Fogo, Fogo & Sangue é o primeiro de dois volumes, e conta a história oficial da Casa Targaryen, narrando da guerra de conquista que uniu os Sete Reinos até os eventos da Dança dos Dragões – a guerra civil que quase pôs fim à dinastia dos senhores dos dragões. Os leitores tiveram vislumbres dessa história em trechos dos livros anteriores e em algumas antologias, mas a trama completa dos Targaryen é revelada pela primeira vez neste livro.

Ricamente ilustrado, com mais de 75 imagens em preto e branco assinadas pelo artista Doug Wheatley, Fogo & Sangue dará aos leitores um conhecimento novo e completo da história de Westeros, e será um livro imperdível para os fãs de George R. R. Martin.
Read More

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Você arrisca a própria pele?


Em setembro, chega às livrarias Arriscando a própria pele, o novo livro de Nassim Nicholas Taleb, autor do best-seller internacional A lógica do Cisne Negro. 

“Nunca confie em alguém que não arrisca a própria pele”, diz Taleb, neste livro provocativo. Por que não devemos escutar pessoas que só falam em vez de agir? Por que empresas entram em falência? Por que existem mais escravizados hoje do que nos tempos romanos? Por que impor a democracia em outros países nunca funciona? A resposta: muitas das pessoas que estão no comando não arriscam a própria pele.

Colocar a pele em jogo se aplica a todos os aspectos da vida. Significa que temos algo a perder, que temos de correr riscos. Em seu estilo desafiador e inimitável, Taleb cria uma estrutura surpreendente para entendermos este conceito. 

Arriscando a própria pele chega no momento exato para nos instigar e fazer com que repensemos tudo aquilo que imaginávamos saber. Uma obra corajosa, que desafia muitas das nossas crenças sobre risco, recompensa, política, religião e finanças.

Read More

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Eu digo Charlie e vocês dizem...

Um dos maiores ícones do rock nacional, Alexandre Magno Abrão, o Chorão, conquistou o Brasil sobretudo pela sua entrega na hora de compor e cantar. Essa mesma intensidade marcou a história de amor ímpar vivida com Graziela Gonçalves, que conta neste livro como o relacionamento de quase vinte anos dos dois a transformou para sempre.

Ela conheceu o cantor antes de sua banda estourar e se tornar uma das mais populares do país. Com suas ideias e seu apoio, Grazi teve participação importante na construção do sucesso do Charlie Brown Jr. Foi a grande musa de Chorão, que escreveu inúmeras letras inspirado nela. Como companheira de Alexandre, passou com ele os melhores e os piores momentos, e o ajudou a enfrentar a dependência química, que o levou, tragicamente, à morte em 2013.

Se não eu, quem vai fazer você feliz? não vai tocar apenas os fãs de Chorão. Mesmo sem conhecer sua música, é impossível não se emocionar com a força desse amor que sobreviveu à fama, às crises e até à morte — e que é homenageado neste livro.

Uma história de amor à base de música precisa de uma playlist própria, né? A própria Graziela Gonçalves criou, no Spotify, uma playlist com as músicas citadas no livro Se não eu, quem vai fazer você feliz? – clássicos, nostalgia e muito Charlie Brown Jr. Siga o link na imagem para abrir no Spotify:

Read More

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

O mistério sobre a morte de Hitler, enfim, resolvido


Um relato dramático e revelador dos últimos dias no bunker de Hitler, baseado em arquivos soviéticos nunca antes revelados e investigações forenses de última geração.

Os nazistas capitularam no dia 8 de maio de 1945. Hitler se suicidou uma semana antes, em seu bunker berlinense. Os aliados e os soviéticos festejaram a vitória juntos. Essa é a versão mais conhecida da história. Na realidade, porém, no dia 1º de maio, Stálin ordenou que seus soldados investigassem a morte de Hitler e capturassem o corpo do ditador. O objetivo era buscar evidências da morte do homem ou um troféu de guerra que provasse ao mundo inteiro que seu país derrotara o monstro?

Em 2017, depois de dois anos negociando com as autoridades russas, os jornalistas Jean-Christophe Brisard e Lana Parshina tiveram acesso aos dossiês confidenciais referentes à inacreditável perseguição ao corpo de Hitler empreendida pelos espiões soviéticos, assim como aos interrogatórios daqueles que testemunharam os últimos dias do Führer. E o mais importante: Moscou concordou em mostrar pela primeira vez e deixar que examinassem seus restos mortais - um pedaço do crânio com a marca da bala e a mandíbula.

Numa investigação digna de um romance de espionagem, os autores colocam um ponto final nos últimos questionamentos a respeito da morte de Hitler.
Read More

Conteúdo Relacionado

© 2011 Uma Leitora, AllRightsReserved.

Designed by ScreenWritersArena