sábado, 25 de março de 2017

O legado de Wells: a viagem no tempo é tema recorrente em produções culturais


Acredita-se que a primeira pessoa no mundo a falar em viagem no tempo foi o escritor H. G. Wells, pai da ficção científica, no renomado e incrível livro A Máquina do Tempo. O próprio termo "máquina do tempo" foi cunhado pelo autor. 

Visto que essa obra é considerada um dos grandes clássicos da literatura, o selo Via leitura, da Edipro, fez uma nova edição do livro, com o texto integral de sua primeira publicação. 

Na obra, de 1895, um cientista, apresentado na trama como ‘O Viajante do Tempo’, vive em Londres, na época vitoriana. Ele constrói uma máquina capaz de viajar pela Quarta Dimensão (o tempo) e ao testá-la acaba sendo transportado para o ano de 804.701. Nesta época, a humanidade é dividida entre os pacíficos Elóis e os Morlocks, habitantes dos subterrâneos. 

A trama se complica quando o cientista se aventura e enfrenta os Morlocks, pois eles guardam um importante segredo sobre o destino da humanidade. O livro A Máquina do Tempo foi o primeiro romance publicado por Wells. Seu sucesso instantâneo na época abriu as portas para todo um novo gênero literário, que encanta os leitores até hoje. 

Desde que essa obra se transformou em um feito, o tema viagem no tempo ganhou presença em desenhos animados, quadrinhos, livros e revistas. Além disso, todos já pensaram em voltar no tempo para reaver alguma atitude, ou dar um pulo no futuro para saber o que lhe aguarda. 

Esta ficção científica deve ser o ponto de partida para os amantes do gênero. Leva a reflexão do quanto a tecnologia e os avanços científicos podem interferir no futuro, e que podem transformar as pessoas em uma nova espécie humana e onde se habita em um novo mundo. 

Nesse quesito, Wells foi um dos pioneiros, não apenas escrevendo essa aventura clássica, mas também descrevendo o tempo como uma quarta dimensão, representação utilizada até hoje por muitos autores e roteiristas de histórias fantásticas.
Read More

sexta-feira, 24 de março de 2017

A Gravidade Zero de David Bowie


"Gravidade Zero" é o novo livro de poemas do escritor Alexandre Guarnieri, ganhador do Prêmio Jabuti em 2015. A nova obra, publicada pela editora Penalux, é um tributo ao cantor consagrado David Bowie que deu vida ao astronauta Major Tom nas canções “Space Oddity”, “Ashes to Ashes” e “Hallo Spaceboy’. 

Segundo o escritor, o livro conta sobre um astronauta perdido que decide escrever poemas sobre o que pode testemunhar em sua viagem pelo espaço e o sentido da vida que deixou para trás na Terra. 

- Minha inspiração veio das sessões de cinema de ficção científica e audições das músicas de Bowie, falecido há um ano, e de outros artistas - diz. 


O poeta diz que o caso de Major Tom é extremo porque ele parte numa viagem espacial e não está certo quanto ao seu destino, sua missão. Ele conta que ficou tão imerso nas músicas de Bowie que no final do livro indica as músicas que mais o inspiraram na escrita dos poemas e na ambiência do tema.

- Sinto que Gravidade Zero é a conclusão de uma trilogia composta por Casa de Máquinas e Corpo de Festim. Da máquina ao homem. E de volta à máquina para lançar o homem o mais longe possível, para além de toda a familiaridade, sozinho – comenta.
Read More

quinta-feira, 23 de março de 2017

Guten apresenta ferramenta digital para o ensino de leitura


O desafio do letramento no Brasil é imenso, uma vez que o índice de alunos alfabetizados que não compreendem o significado dos textos ainda é alto. Um bom nível de letramento só é possível quando o leitor de fato domina a leitura, com competências que permitem que compreenda e interprete textos; seja capaz de fazer conexões com outros conhecimentos; faça inferências; e possa distinguir fatos de opinião, entre outras habilidades. 

Para apresentar a sua ferramenta digital para o desenvolvimento da compreensão leitora a educadores de Fortaleza, a Guten Educação e Tecnologia – empresa que é especialista em leitura e que disponibiliza a única plataforma de linguagens que estimula o desenvolvimento da leitura por meio de textos jornalísticos – realizará um evento no dia 15 de março. O encontro terá a presença de Danielle Brants, fundadora da empresa, e Adriana Pettengill, diretora comercial.

Com conteúdos interativos, sequências de atividades, planos de aula e avaliação continuada com base em relatórios automáticos sobre as competências leitoras dos alunos, a Guten tem uma equipe formada por especialistas nas áreas da leitura, pedagogia, linguística aplicada, linguística computacional, jornalismo e tecnologia. A empresa acredita que grandes leitores podem ser também grandes agentes de transformação da sociedade.

Como o nível de letramento é insatisfatório, há um forte efeito multiplicador negativo – uma vez que a leitura é uma competência fundamental ao bom aproveitamento de todas as disciplinas e fontes de conhecimento. Para se ter uma ideia da relevância do tema, deficiências na área de matemática, por exemplo, podem estar ligadas a problemas de interpretação de textos, porque os estudantes não compreendem o enunciado das questões. 

Para mudar essa realidade, um número cada vez maior de escolas, em vários estados, adotou a plataforma Guten News. Com o uso da tecnologia da Guten, escolas em todo o Brasil estão combatendo o baixo letramento existente entre jovens e crianças. São mais de 30 mil usuários da plataforma Guten News em São Paulo (SP), Curitiba (PR), Rio de Janeiro (RJ), Fortaleza (CE), Recife (PE), João Pessoa (PB) e Rezende (RJ), com resultados muito positivos. Em Fortaleza, o Colégio Master e o Centro Educacional Evandro Ayres de Moura já dispõem de todas as funcionalidades da plataforma.

Na última década, o Ceará conquistou melhorias significativas na alfabetização e no letramento, com bons resultados no último levantamento realizado pelo Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica – Alfa (Spaece-Alfa), atingindo nível de proficiência em leitura de 185,6, quando a meta era 150 para o segundo ano do ensino fundamental. Mas ainda há um longo caminho a percorrer, em todo o país, para fazer com que os alunos sejam realmente leitores proficientes.

Entre as escolas que já adotam a plataforma da Guten estão, por exemplo, Colégio Elvira Brandão, Instituto Sidarta, Liceu Jardim, ABA Global School, Colégio Pentágono, Colégio Expoente, Colégio Motiva, Colégio Arbos, Colégio Humboldt, Anglo Morumbi, Colégio Salgueiro, Salesiano Resende e Colégio Integrado Americano.


Plataforma Guten News
A plataforma de leitura Guten News contém textos jornalísticos escritos em linguagem adequada ao público infantojuvenil e sequências de atividades “gamificadas” que desenvolvem a capacidade de compreender e de interpretar textos. Cada jogo avalia diferentes habilidades de leitura envolvidas na compreensão dos textos jornalísticos presentes na plataforma: por meio do uso de games, o leitor é motivado a ler artigos atuais que trazem conexões com o mundo e ampliam seu repertório cultural. O uso de textos sobre atualidades propicia a contextualização dos conteúdos escolares, sintonizando as escolas com os acontecimentos recentes da sociedade.

Após os alunos lerem e realizarem as atividades na plataforma, o professor pode acessar a ferramenta analítica que reúne todas as informações sobre a leitura dos alunos. Os educadores recebem relatórios para que possam intervir de forma personalizada com seus alunos, mapeando suas habilidades de leitura de maneira prática e efetiva, de acordo com a matriz de referências do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira).

Com isso, a plataforma contempla alunos, professores e gestores escolares: 
  • alunos: contam com jogos de leitura que os motivam a ler enquanto conhecem mais sobre o mundo ao seu redor; 
  • professores: contam com material didático atualizado a cada semana; 
  • gestores de escolas: contam com uma ferramenta de avaliação da competência leitora que não requer a aplicação de provas e simulados, e que fornece dados semanais de acompanhamento continuado; 
“Uma das questões principais para a compreensão leitora dos estudantes e das pessoas em geral é o engajamento – é preciso ter uma atitude positiva frente ao texto. Depois disso, vem a conquista da proficiência. No que se refere ao engajamento, é importante o papel das novas mídias”, destaca Danielle Brants. O acesso ao aplicativo Guten News pode ser realizado via internet, o que permite aos jovens, seus pais e adultos em geral desenvolver a competência leitora também fora da escola (www.gutennews.com.br).

“Queremos transformar a maneira como a leitura é realizada em casa e no ambiente escolar, causar impacto na vida dos jovens brasileiros, transformar o modo como enxergam o mundo e ampliar seus horizontes, acreditando que grandes leitores podem ser também grandes agentes de transformação da sociedade. O atributo de ser um bom leitor é uma das formas mais democráticas de ampliar as fronteiras de vida do indivíduo”, afirma Danielle Brants.
Read More

Sampa, a cidade das sensações: amor, ação, dor e arte


A cidade da garoa vive em estado de alerta, poucas vezes as pessoas conseguem parar e observar tantas histórias e belezas que cercam as ruas, arquiteturas, praças e comércios. A advogada Cindy Stockler narra em ‘Operação Caipiroska’ um romance envolvente que acontece em São Paulo.

Na ficção, a aventura amorosa da sensual brasileira Maria Claudia e o misterioso russo Ivan Ivanovitch, decorre junto a uma envolvente narrativa sobre os lugares mais famosos da capital paulista. Permeia todas as sensações de um morador, que muitas vezes não tem tempo para saborear esses momentos, e também, demonstra como um turista sente-se ao experimentar cada gosto e cheiro desta cidade frenética.

Além de a grande metrópole ser palco deste caso de amor, os mistérios do russo começam a ser desvendados e a narrativa volta-se para uma espetacular operação policial de proporções internacionais.

A obra temporal ocorre no ano de 2005, momento conturbado não só para São Paulo, como também para o Brasil. Em meio ao Mensalão, CPI’s, Máfia do Apito, o referendo do desarmamento, entre outros episódios históricos, que se tornaram escândalos e, muitos deles, resultaram no atual momento político que o Brasil vive.

A inspiração da autora é baseada nos best-sellers internacionais que aproveitam a energia que o local tem. A enérgica Sampa é, como bem coloca a autora, “amor, ação e emoção”. Todas estas características a tornam o cenário ideal para o romance dos personagens que é repleto de dúvida, mistério, suspense, humor, malícia e entrega.

Além de todas as características da capital, o livro ainda contém uma trilha sonora carregada de brasilidades, inclusive com a rádio mais ouvida de nossas famosas MPB’s. O futebol, paixão nacional, também marca presença na obra. Para completar, narrada pela autora, a vista faz as pessoas imaginarem as atrações da Paulicéia ou da exuberante Mata Atlântica do litoral do Estado de São Paulo.

Cindy Stockler, em ‘Operação Caipiroska’, encanta com a história de Maria Claudia e Ivan, dois opostos que passeiam pelos lugares mais incríveis de São Paulo, faz com que a intensidade da cidade e dos personagens seja sentida pelos leitores.
Read More

quarta-feira, 22 de março de 2017

Duas mulheres e um segredo em 'A Última Camélia'

Sucesso de público, A Última Camélia, da best-seller Sarah Jio será publicado pela Editora Novo Conceito ainda no mês de março, atendendo aos muitos pedidos dos leitores nas redes sociais. Com este livro, será o quarto lançamento da autora norte-americana no Brasil.
A obra mistura épocas diferentes, com duas protagonistas intrigantes e cheias de mistérios. Flora Lewis é uma jovem americana vivendo nos anos 40, às vésperas da Segunda Guerra Mundial. Engajada em ajudar a família, ela viaja até a Inglaterra para uma empreitada perigosa na Mansão Livingston. Lá, ela irá trabalhar para o mercenário Philip Price, que planeja roubar o último espécime de uma rara camélia, conhecida como Middlebury Pink.
Porém, a busca arriscada da garota é iluminada por um amor arrebatador, ao mesmo tempo em que é ameaçada pela descoberta de uma série de crimes. Com o desenrolar dos capítulos, Flora irá deparar-se com mentiras e segredos obscuros por trás da cobiçada flor, além de confrontar um perigo imprevisível.
Cinco décadas depois, o leitor conhece a paisagista nova iorquina Addison, que por uma ironia – ou não – do destino passa a morar na lendária Mansão Livingston, que é propriedade de seu marido, Rex Sinclair. Agora, ela precisa fugir de um segredo que ameaça o futuro de seu casamento. Será que ela terá o mesmo destino de Flora?
A Última Camélia é uma junção intrigante de duas épocas muito distintas, mas ligadas de forma muito perspicaz pela autora. Com uma narrativa misteriosa e repleta de enigmas, o leitor irá descobrir que confiar nos personagens é arriscado, e a verdade por trás da história é implacável e surpreendente. 
Read More

Uma história de amor e amizade na Terra do Nunca

Sociedade J.M. Barrie, obra da americana Barbara J. Zitwer – conhecida pela produção do filme O Beijo do Vampiro – é um romance diferente e encantador. Lançamento da Editora Novo Conceito para o mês de abril, este livro certamente fará o leitor repensar conceitos de amizade e companheirismo. 

Na obra, Joey Rubin é uma arquiteta de 37 anos extremamente viciada em trabalho e com uma personalidade muito caridosa, o que faz com que seus colegas abusem de sua boa vontade. Ela ganha uma chance de trabalhar em um projeto fora do país e de extrema importância: reformar Stanway House, casa que supostamente J.M. Barrie escreveu o clássico Peter Pan, o livro preferido dela.

Além da relevância deste trabalho, Joey ainda viu na mudança para a Inglaterra uma oportunidade de transformar a vida solitária que possuía em Nova York. Mas, apesar de ter reencontrado Sarah, sua melhor e mais antiga amiga, ela deparou-se com um choque cultural epercebeu que seria um pouco difícil de lidar com os residentes locais.

Apesar das dificuldades, a arquiteta tenta concentrar todo o esforço possível na restauração de Stanway House, mas tudo fica ainda mais confuso quando ela conhece Ian, o antipático zelador da residência – que também é muito atraente. O que só complica ainda mais a situação.

No meio de tantas adversidades, Joey é surpreendida por um grupo de senhoras, moradoras da casa e muito alegres. Elas são membras da Sociedade de Natação J.M. Barrie, as quais enfrentam as águas geladas do lago de Stanway House desde 1864, tradicionalmente. O grande desafio é conquistar o conhecido Troféu Peter Pan. De forma inesperada e divertida, essas octogenárias transformarão a vida de Joey.
  
Sociedade J.M. Barrie mostra como uma amizade incomum pode mudar a maneira de alguém enxergar o mundo. A obra é um romance divertido e demonstra como o amor pode estar nas mais simples coisas – como um mergulho.
Read More

domingo, 19 de março de 2017

Logan: colecionáveis do mutante estão à venda na Iron Studios Concept Store


Criado em 1974, Wolverine, o mutante mais famoso do mundo, teve sua primeira aparição nas histórias em quadrinhos como rival coadjuvante do Incrível Hulk. Seus poderes incluem sentidos aguçados, garras retráteis e grande capacidade regenerativa, conhecida como “fator de cura”, que retarda seu envelhecimento.
Wolverine Marvel Select (Diamond) com cerca de 18 cm por 119,90 reais

Visual clássico do herói nos quadrinhos com o traje usado nos anos 1970 e na popular série animada dos anos 1990

Com estimados mais de cem anos, James Howlett adotou o nome de seu suposto pai biológico, Logan, e atuou na Guerra Civil Americana, na Segunda Guerra Mundial, foi agente secreto da C.I.A. e do Serviço Secreto Canadense, e foi cobaia do governo Canadense em uma experiência (o Programa Arma X) na qual seu esqueleto e garras foram revestidos por Adamantium (metal fictício indestrutível).

Wolverine Premium Format (Sideshow) Art Scale ¼ por 3299,90 reais

Com o uniforme criado nos anos 1980, imortalizado nas HQs do herói produzidas por Frank Miller

Sem muitas lembranças de seu passado, adotou o codinome Wolverine e tornou-se um dos mais importantes membros dos X-Men, além de participar de outros grupos, como: Tropa Alfa, X-Force e Novos Vingadores.

Atualmente nos cinemas, o longa-metragem Logan encerra a carreira na interpretação de Hugh Jackman, com a marca recorde do ator que interpretou o mesmo personagem mais vezes no cinema. Contando como protagonista até pequenas participações, foram nove vezes em 17 anos.

Wolverine Marvel NOW! (Kotobukiya) em Art Scale 1/10 por 3590,90 reais

Visual mais contemporâneo nas HQs, usado pelo herói na linha editorial Marvel NOW!

Com duas unidades em São Paulo e uma no Rio de Janeiro, a Iron Studios Concept Store é uma das principais lojas conceito de colecionáveis do Brasil, e conta com diversos produtos do universo de cultura pop. Para saber mais, acesse: www.facebook.com/ironstudios.
Read More

sábado, 18 de março de 2017

Ação mundial incentiva produção e consumo de livros independentes


O Brasil participa pela primeira vez neste sábado (18) do Indie Book Day, uma iniciativa mundial para incentivar a produção e circulação de livros independentes. Mais de 30 livrarias estão na promoção e elas foram convidadas a expor, neste dia, obras com mais destaque. A proposta é que leitores visitem os locais de venda, comprem esses livros e compartilhem mensagens com a hashtag #IndieBookDay nas redes sociais.

Em São Paulo, uma oportunidade para encontrar as obras independentes é o festival Plana, que ocorre no Pavilhão da Bienal, no Parque Ibirapuera, coincidentemente na mesma data. Estarão reunidas mais 200 editoras. A lista dos locais que participam da ação pode ser encontrada aqui.

O primeiro Indie Book Day foi há 5 anos em Hamburgo, na Alemanha, encabeçada pela editora Mairisch. Entre 2014 e 2016, outros países – Reino Unido, Holanda, Itália e Portugal – aderiram ao convite de dedicar um dia à exaltação da publicação independente.

No Brasil, a ação foi trazida pelos editores Gustavo Faraon, da Dublinense, e João Varella, da Lote 42, depois que eles participaram da Feira do Livro de Frankfurt e conheceram os organizadores do Indie Book Day.

Mercado
Varella destaca o bom momento do mercado editorial independente no país. “É difícil apontar uma explicação para isso, mas algumas pistas talvez venham dessa questão que os independentes exploram projetos gráficos. A nova onda de editores tende a explorar a materialidade do livro. Todo mundo está consumindo muito texto na tela, no computador, no tablet. Para justificar porque este texto merece ser impresso, o livro vai dar uma experiência que só o impresso faz”, disse.

O mercado editorial independente tem como característica o contato direto com o leitor por meio das feiras, sem intermediários. Mas Varella destaca que uma das propostas do Indie Book Day é também fazer um “chamado às livrarias para que elas apoiem essa movimentação”.

Ele explicou ainda que o setor não trabalha com grandes investidores e não tem capital vinculado a grandes multinacionais. Além disso, a produção “é mais experimental em termos de narrativa, de temáticas, em termos de formatos”, explicou o editor da Lote 42.

Varella critica a excessiva publicação de traduções no mercado editorial brasileiro. “Uma editora tradicional está muito vinculada à busca do best-seller, muita tradução”, apontou. Na avaliação do editor, perde-se uma rica produção literária brasileira pela necessidade de apostar “no que já é certo”. “Grandes editoras estão muito interessadas no que já foi testado e aprovado no mercado externo”, finalizou.
Read More

Conteúdo Relacionado

© 2011 Uma Leitora, AllRightsReserved.

Designed by ScreenWritersArena