terça-feira, 31 de maio de 2016

Conheça o livro best seller do New York Times, 'O Acordo'

Hannah Wells finalmente encontrou alguém que a interessasse. Embora seja autoconfiante em vários outros aspectos da vida, carrega nas costas uma bagagem e tanto quando o assunto é sexo e sedução. Não vai ter jeito: ela vai ter que sair da zona de conforto… 

Mesmo que isso signifique dar aulas particulares para o infantil, irritante e convencido capitão do time de hóquei, em troca de um encontro de mentirinha. Tudo o que Garrett Graham quer é se formar para poder jogar hóquei profissional. Mas suas notas cada vez mais baixas estão ameaçando arruinar tudo aquilo pelo que tanto se dedicou. Se ajudar uma garota linda e sarcástica a fazer ciúmes em outro cara puder garantir sua vaga no time, ele topa. Mas o que era apenas uma troca de favores entre dois opostos acaba se tornando uma amizade inesperada. Até que um beijo faz que Hannah e Garret precisem repensar os termos de seu acordo.

“Ah. Consegui sua atenção.”
“Não, conseguiu o meu desgosto. Você acha que quero sair com você?”
“Todo mundo quer sair comigo.” Hannah dá uma gargalhada.
Talvez eu devesse me sentir insultado pela reação, mas gosto do som da risada dela. Tem certa qualidade musical, um tom rouco que tremula no meu ouvido.
“Só por curiosidade”, sugere, “quando você acorda de manhã, se admira no espelho por uma hora ou duas?” “Duas”, respondo, animado.
“E dá um high five no seu próprio reflexo?”
“Claro que não.” Dou uma risadinha. “Beijo cada um dos meus bíceps, aponto para o teto e agradeço ao camarada lá de cima por criar um espécime tão perfeito.”

A autora: Elle Kennedy cresceu nos subúrbios de Toronto. Desde criança, sabia que queria ser escritora. Elle formou se em língua inglesa pela York University e atualmente escreve para várias editoras diferentes. É autora best-seller do New York Times, USA Today e Wall Street Journal. 

Read More

Soldado Invernal - Marcha da Amargura


de Rick Remender, Chris Chuckry e Roland Boschi (Marvel/ Panini Comics)


Na história os agentes da SHIELD Nick Fury e Ran Shen estão em uma viagem para cumprir a missão de resgatar um casal de cientistas. Mila e Peter Hitzig são os responsáveis pela Fórmula Alquimia, um poderoso projeto científico com potencial de mudar os rumos da Guerra Fria. No caminho os dois vão ter enfrentar a Hidra, organização secreta que descende do nazismo e está interessada na fórmula pra cumprir seu plano de dominação mundial.


Também tentando impedir os agentes, aparecerá um dos melhores personagens da Marvel, e pessoalmente, um dos meus favoritos: O Soldado Invernal. O super-soldado é um assassino e espião da URSS com um braço de metal. Mas antes de sofrer uma lavagem cerebral e o super soro, ele costumava ser James Buchanan Barnes, ou Bucky, o melhor amigo e parceiro de Steve Rogers, o Capitão América. Por si, a trajetória de Bucky dentro do universo Marvel já daria um texto inteiro, já que tem muitas reviravoltas interessantes.


Além disso, o personagem se tornou conhecido do grande público com o lançamento do filme Capitão América: O Soldado Invernal, que revelou o triste destino do personagem que se acreditava ter morrido durante a Segunda Guerra Mundial.


Em A Marcha da Amargura encontramos um mundo de filmes de espionagem, que dá mais espaço para os agentes e suas habilidades do que para os super poderes, como na maioria das publicações da casa. O ambiente é hostil, cheio de neve e gelo, com cidades pequenas e trens em movimento, fazendo a receita perfeita para um filme de James Bond, e esse é o clima que a narrativa transmite.

O legal é que a HQ é estrelada por Ran Shen, mas o personagem tem tão pouco carisma que até o vilão, Soldado Invernal é mais interessante que ele, o que quase te faz torcer para que o cara do mal vença. Me irritei com algumas atitudes de alguns personagens e alguns desenvolvimentos meio machistas junto à personagem da Mila, mas em geral isso não fez eu não gostar do todo.


De toda forma, a HQ tem uma história sensacional, colocando os agentes e super-heróis dentro do contexto histórico da Guerra Fria, um conflito político e tendo entre os Estados Unidos e a União Soviética. Quando colocada neste mundo, a narrativa se encaixou perfeitamente, e achei isso simplesmente genial.

Quanto ao traço, achei de muita qualidade, dá pra ver que os autores são muito competentes e experientes no que fazem, já que a obra demonstra a firmeza e confiança que quem sabe o que faz, mas uma certa acomodação. As cores são lindas, e os flashbacks são maravilhosos. São memórias de Bucky antes de se tornar Soldado Invernal, que são mostradas de uma forma maravilhosa.


Gostei bastante da HQ, as 108 páginas são de leitura bem rápida e a história tem bastante ação. Achei que na edição brasileira a capa poderia ser feita de um material um pouquinho mais resistente (nas fotos dá pra ver que a lombada já está bem amassada, e eu sou cuidadosa), mas em geral a impressão está muito boa. O preço é razoável para quadrinhos comprados em banca, mas R$19,90 bate uma tristezinha para pagar, acho que poderia ser mais barato. A história é em cinco partes, e vendida no volume único. Adoro ler HQs assim, você pega o todo da história com começo, meio e fim, nada de ter que ficar caçando as edições que faltaram.

Read More

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Conheça 52 mitos pop: um livro divertido e repleto de histórias de bastidores


O cenário pode variar: o recreio da escola, a mesa de um bar, o cafezinho do trabalho. Mas quem nunca se viu numa discussão sobre temas como “Han Solo atirou primeiro? (no “Episódio IV” de Guerra nas estrelas)” ou “a máfia matou Bruce Lee?" ou “Os Simpsons são capazes de prever o futuro”? Se esse tipo de conversa era comum no passado, a internet, esse terreno fértil para espalhar lendas urbanas, fez que ficasse cada vez mais frequente. 

Ele mesmo um habitué desse tipo de discussão, Pablo Miyazawa decidiu usar seus conhecimentos como um dos jornalistas de cultura pop mais respeitados do país para tentar separar o que é fato do que é ficção. O resultado é um livro divertido e fácil de ler, repleto de anedotas e histórias de bastidores. Informativo sem nunca ficar restrito somente aos fãs de cada tema. Indispensável para viciados em cultura pop (e não somos todos hoje em dia?) ou simplesmente para quem tem um fraco por teorias da conspiração da internet (de novo, todos nós).

Os Simpsons conseguem prever o futuro? Se existe um fato
incontestável na cultura pop nos últimos 25 anos é: Os Simpsons sabe das coisas. Mesmo há tantos anos ininterruptos em exibição, a série animada criada pelo cartunista Matt Groening ainda consegue se manter atual, relevante e capaz de provocar fortes reações no público. Com certeza, é o tipo de mérito que poucas sagas ficcionais recentes podem celebrar. Não é apenas a longevidade que chama a atenção na série, mas sua capacidade de compreender e interpretar tão bem o mundo em que vivemos. É como se tivesse passado no teste do tempo inúmeras vezes nos últimos anos, graças a pequenos detalhes e informações que surgem de vez em quando em suas cenas.


O Autor: Pablo Miyazawa é jornalista e trabalha com entretenimento desde 1996. Atualmente à frente do site de games IGN Brasil, foi editor-chefe de revistas de cultura pop, como Rolling Stone, Herói, EGM Brasil e Nintendo World, e publicou textos nos principais jornais e portais de internet do país. Vive em São Paulo.
Read More

domingo, 29 de maio de 2016

Booktrailer de Domingo #52

O booktrailer de domingo é um espaço para mostrar o que as editoras estão produzindo de legal em material audiovisual para divulgar os seus lançamentos. Este vídeo foi feito pela Editora Valentina para divulgar o Clube do Cupcake que faz parte do livro "Delícia, Delícia", de Donna Kauffman. 

Na história, entre altos papos e doces lambidas, amizades crescem como pão quentinho e a vida vai ficando mais saborosa. Mas quando é preciso decidir entre a vida que você sempre sonhou e o amor da sua vida, só as melhores amigas, as melhores receitas e uma caixa cheia de Red Velvets podem ajudar.

Read More

sábado, 28 de maio de 2016

Chronos: novo selo geek da Editora Pandorga


A Editora Pandorga se prepara para lançar um novo selo voltado para os leitores geeks. Chronos, como será chamado, trará livros de ficção científica, fantasia, literatura clássica e histórias em quadrinhos. Estreando com quatro títulos, o selo Chronos apresenta os livros Luke Skywalker não sabe ler – e outras verdades Geek, do autor Ryan Britt; o box da série Minecraft – livros extraoficiais para Minecrafters, da autora Winter Morgan; Desafio, o primeiro exemplar da série Canções de Antion, escrita pela autora Sarah B. Larson; e Truthwitch, da escritora best-seller do NY Times, Susan Dennard.

Com a criação do selo, a editora pretende disseminar títulos e autores de ficção e trazer novos adeptos a esse conteúdo, que abrange desde os primórdios da literatura fantástica até as mais atuais apostas da feira de games E3 e do cinema. A Editora Pandorga tem como objetivo trazer livros de qualidade que atendam as necessidades especialmente do público jovem, formando assim os novos leitores brasileiros, com um catálogo que abrange os mais diversos assuntos que até hoje dominam o imaginário da literatura mundial.

Sobre a editora: Com um catálogo que abrange os mais diversos assuntos que até hoje dominam o imaginário da literatura mundial, a Editora Pandorga tem como objetivo trazer livros de qualidade que atendam as necessidades especialmente do público jovem, formando assim os novos leitores brasileiros. Outra preocupação da Editora Pandorga é relacionada com as crianças e seus pais, que no papel de educadores, precisam ter nos livros um apoio para a educação de seus filhos. Seja para as aventuras dentro do mundo fantástico da leitura infantil ou no apoio aos familiares sobre a educação de seus filhos, a Pandorga possui um acervo de títulos que irão agradar a todos.
Read More

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Música de Sexta - Dingo Bells

Música de Sexta é uma sessão semanal para mostrar algumas dicas musicais. A dica de hoje é a maravilhosa banda brasileira Dingo Bells. Além da qualidade da música em si, as letras deles são simplesmente geniais. Estou completamente viciada neste álbum, Maravilhas da Vida Moderna (2015), e entre as minhas favoritas estão Anéis de Saturno, Eu Vim Passear, e claro, Dinossauros:

Read More

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Dia dos Namorados: livro de mensagens destacáveis é sugestão de presente

Quem nunca se sentiu perdido? Ou desestimulado a seguir em frente por deixar de acreditar em si mesmo? É nessas horas que lembretes de carinho e amor são muito mais que bem-vindos. Com um projeto editorial gráfico inovador com páginas destacáveis e ilustrações cativantes, o livro Espalhe a Notícia traz mensagens inspiradoras de personalidades como Anne Frank, Nelson Mandela, Antoine de Saint-Exupéry, Martin Luther King Jr. e C. S. Lewis que prometem animar o dia daqueles que estão precisando de uma boa notícia.

“Que maravilha é ninguém precisar esperar um único momento para melhorar o mundo” (Anne Frank) 

"Que as suas escolhas reflitam sua esperança, não o seu medo" (Nelson Mandela) 

O essencial é invisível aos olhos”  (Antoine de Saint-Exupéry) 

“Somente na escuridão conseguimos enxergar as estrelas” (Martin Luther King Jr.) 

“Existem coisas muito, muito melhores pela frente do que as que deixamos para trás” (C. S. Lewis) 

Uma das vantagens do livro é que as mensagens não ficam somente nele. Com páginas destacáveis, é possível compartilhá-las com quem ama, junto com um presente ou até mesmo pelo correio. Neste caso, basta colar um selo e incluir o endereço no verso. É possível também colocar as frases em molduras e espalhá-las por onde preferir.
O livro chega às livrarias de todo o Brasil pela editora Thomas Nelson Brasil neste mês de maio e é ótima dica de presente aos mais queridos.
Read More

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Uma Breve História do Tempo

de Stephen Hawking (Editora Intrínseca)

Clássico da física, Uma Breve História do Tempo, de Stephen Hawking (Editora Intrínseca) ganhou uma nova edição revisada em 2015. Antes de comprar o livro, li uma resenha de um físico que dizia que o leitor leigo entenderia cerca de 30% de seu conteúdo. Pra mim já seria o bastante. Acho que além de o ensino da física ser fraco no ensino público (em que estudei a vida toda), eu não tive o interesse que deveria no tema, negligenciando um conhecimento que agora me faz falta. Então, correndo atrás do prejuízo estou tentando sanar algumas deficiências, conteúdos que eu gostaria de conhecer melhor.


Em seu livro, um dos físicos mais renomados da atualidade explora a história da física, a biografia de figuras como Galilei, Einstein e Newton, as principais teorias e descobertas, e também reflete em volta de questões como a origem do universo e a existência do tempo. Todas estas questões tão interessantes exercem fascínio no leitor, e geram uma sensação de insignificância latente. 

O que são os nossos problemas mesquinhos perto dos buracos negros e da grandiosidade dos mistérios da criação? Nós vivemos aqui se engrandecendo, se achando super importantes quando na verdade não somos nada comparados ao tamanho do universo e todos os mistérios nele. É quase impossível não sentir uma ponta de tristeza.



O estilo de Hawking transforma um tema pesado e um conteúdo difícil em uma leitura muito mais agradável do que parece a princípio. Ele faz certos comentários, com um humor tão inesperado em livro sério assim que as vezes é impossível conter o riso.

Quando comecei a leitura já esperava uma leitura séria e densa, e um conteúdo muito técnico, e felizmente fui surpreendida pela maneira leve que o livro foi conduzido. Mas mesmo desta forma, o conteúdo é pesado e exige concentração e um tempinho para pensar em todas as revelações. Tanto que fui lendo um capítulo de cada vez, para conseguir absorver com calma tudo que tinha lido.
 


O conteúdo do livro acaba sendo bem variado, apesar de tratar em geral sobre a física, tem muito sobre a história, sobre astronomia.
"Como veremos, o conceito de tempo não tem significado antes do início do universo. Isso foi observado pela primeira vez por Santo Agostinho. Quando lhe perguntavam 'o que Deus fazia antes de criar o universo?', sua resposta não era 'Ele estava preparando o inferno para pessoas que fizessem perguntas como essa'. Em vez disso, respondia que o tempo era uma propriedade do universo criada por Deus e não existia antes dele" (pg. 19).

Os gráficos e imagens não são tão abundantes quanto poderiam ser, mas ajudam de maneira bem clara a entender alguns conceitos que podem não ficar muito claros na leitura. Acho que o mais legal é que após a leitura o interesse vai te obrigar a procurar mais sobre os assuntos do livro.
 
Esse é o tipo de livro que todas as pessoas não só deveriam ler, mas todas merecem ter este tipo de conhecimento.

Acredito ter absorvido mais de 30% de Uma Breve História do Tempo, e fico cada vez mais encantada com a forma simples em que foi escrito este livro de recheio tão complexo. Uma obra repleta de genialidade e bom humor para aguçar a curiosidade.

Read More

5 HQs para comemorar o Dia do Orgulho Nerd

25 de maio é o Dia do Orgulho Nerd, e o Social Comics, maior streaming de quadrinhos do país, destaca 5 obras em seu portfólio que honram a tradição. A data surgiu por dois motivos especiais: o primeiro porque no dia 25 de maio de 1977 o filme “Star Wars Ep IV: Uma Nova Esperança” fez sua estreia nos cinemas dos EUA. No mesmo dia, mas em 2011, a data ficou conhecida como o Dia da Toalha, após o falecimento de Douglas Adams, escritor da obra “O Guia do Mochileiro das Galáxias”, que ensina que toda viagem espacial deve ter uma toalha.

Para comemorar a data, o Social Comics disponibilizará no próximo dia 25 uma promoção de assinatura por R$ 9,90 ao mês para os três primeiros meses! Saiba mais em: www.facebook.com/socialcomicsbr

Sugerimos indicações para comemorar lendo: 

Assasin's Creed (ed.1), de Karl Kerschl e Brenden Fletcher (Editora Alto Astral)

Jot Soora é um jovem programador muito talentoso que verá a sua vida virar de cabeça para baixo de uma hora para outra ao encontrar uma camada de código oculta no dispositivo que estava desenvolvendo em um novo projeto de sua empresa.


A Vida de Jonas, de Magno Costa (Zarabatana Books)

Um ex-alcoólatra abandonado pela mulher e desempregado lutando para ficar sóbrio e ter sua tão sonhada segunda chance. A Vida de Jonas é uma história sobre corações partidos, amizades testadas, fantasmas pessoais e cicatrizes que não se curam.



Desengano, de Camilo Solano (independente)

Juca é um típico introspectivo que vive em seus devaneios e acredita que silenciar é sua tangente das situações constrangedoras da vida. Vive em total desengano das pessoas, dos momentos e dos amores. Assim, no período carnavalesco em que veio de São Paulo com a família para a cidade interiorana dos avós, Juca decide passar o feriado sozinho.

 
Placas Tectônicas, de Margaux Motin e tradução de Fernando Scheibe (Editora Nemo)

Uma separação e um novo amor mudam radicalmente sua vida de mulher com trinta e poucos anos de idade; uma época em que decisões abruptas podem levar a consequências desastrosas.
 
La Dansarina, de Lillo Parra e Jefferson Costa (independente)

Em 1918, o mundo enfrentou uma das piores epidemias da história da humanidade: a Gripe Espanhola. Petro, um jovem filho de imigrantes, foi infectado e quase morreu. Nas semanas em que passou febril, sua mãe esteve o tempo todo ao seu lado. Mas quando acordou, quem estava morta era ela e não havia ninguém para enterrá-la. Petro decide então que ele mesmo faria seu funeral.

Todos os quadrinhos acima estão disponíveis no Social Comics e podem, inclusive, ser lidos off-line, baixando pelo app disponível para iOS e Android. Os assinantes também podem conferir quase 2.000 histórias em quadrinhos no formato digital. Para ter acesso a todo acervo, basta assinar o Social Comics, que faz parte do Omelete Group, maior conglomerado de empresas de cultura pop do país, por R$ 19,90 por mês (ou testá-lo por 14 dias gratuitamente!).
Read More

terça-feira, 24 de maio de 2016

Leia este livro e pare de fumar é um programa aos fumantes que desejam abandonar o cigarro

Mais de 20 anos se passaram desde que o livro PARE. Leia este livro e pare de fumar,de Charles F. Wetherall, publicado pela Bazar Editorial, foi escrito. Recebendo sempre atualizações, esta obra é atemporal por trazer informações úteis e funcionais.   
 
A cada 6 segundos uma pessoa morre por doenças ligadas ao cigarro, aponta a OMS (Organização Mundial da Saúde). Isto significa seis milhões de óbitos por ano, 14 mil mortes por dia. Dia sim, dia não, os fumantes ouvem relatos de como o fumo é perigoso a saúde, porém, os ignoram. E é por esta razão que PARE foi feito no formato e semelhança de um maço de cigarros, intencionalmente para que, o pequeno e bastante poderoso, curso intensivo que contém no livro, ajude pessoas a parar de fumar e fazer uma positiva substituição em seu bolso ou bolsa. 


Os gastos anuais no mundo com os problemas de saúde causados pelo tabagismo ultrapassam os 200 bilhões de dólares. Pessoas que fumam consomem em média 40% mais recursos dos sistemas de saúde do que os não fumantes. Enquanto isso, nas pequenas páginas de PARE, é possível encontrar um plano eficiente e de tamanha simplicidade que ajudará a abandonar o hábito de fumar em apenas algumas semanas. Portanto, além de cuidar da saúde e evitar gastos, é necessário que o leitor esteja realmente disposto a fazer com que as dicas obtidas através do livro funcionem. 


A obra traz dicas preciosas e tabelas para auxiliar o fumante nesta árdua luta contra o cigarro. Trata-se de um guia simples e eficiente, para servir de apoio e consulta a qualquer momento em que bater aquela vontade de fumar. Contudo, a notícia mais importante que o exemplar carrega é a seguinte: desde que a pequena obra foi publicada pela primeira vez, cerca de 50 milhões de homens e mulheres já deixaram de fumar nos Estados Unidos. Ou seja, os métodos apresentados são realmente eficazes. 


Mesmo com tantos dados que demonstram e relatam um aumento de mortes por conta da nicotina, há uma grande parcela que ainda procura recursos para se libertar do vício. Esta obra é de grande ajuda para esta fração, justamente por trazer um método que realmente funciona. Além de ser ideal para quem tem o desejo de se livrar do hábito, mas precisa de um incentivo.
Read More

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Uma viagem pela história da Itália

A editora Edipro traz para o Brasil uma seleção de títulos da Série História, originalmente produzida pela Editora Cambridge, na Inglaterra, e publicada entre os renomados títulos acadêmicos e profissionais que compõe o seu vasto catálogo. 


Para elaborar cada obra foi selecionado um reconhecido especialista das grandes universidades mundiais e a ele foi conferida a tarefa de escrever uma história concisa porém bem acurada de cada nação. Cada obra traz um livro-texto que pode ser usado dentro e fora da sala de aula, com ilustrações e mapas, uma introdução histórica para leitores em geral, viajantes e membros da comunidade executiva. Indicada para quem gosta de história, de viagens, para quem estuda e gosta de saber mais do que trazem os tradicionais guias. 


O mais novo lançamento é o livro da Itália, escrito pelo historiador e acadêmico, Christopher Duggan. A obra é indispensável para estudantes e leitores em geral que procuram situar-se sobre a nação-Estado moderna em uma longa perspectiva. Logo na introdução, é lançado um rápido olhar em como a locação da Itália na Europa, seu solo, seu clima, seus recursos minerais e sua geografia física influenciaram sua história. Além disso, o autor insere, em determinados pontos, discussões em assuntos econômicos, sociais e culturais. 


O autor entrelaça com êxito a história política, econômica, social e cultural, e enfatiza a alternância entre os programas materialistas e idealistas. A obra – já na segunda edição pela Cambridge – foi completamente revisada e atualizada para oferecer cobertura maior da Itália dos séculos XIX e XX, bem como uma nova seção dedicada à Itália no século XXI. Com um novo e extenso ensaio bibliográfico e uma cronologia detalhada, este é o recurso ideal para aqueles que procuram uma introdução abrangente e confinável à história italiana. 


Cada exemplar da série constitui-se num resumo da evolução histórica de um povo. De leitura fácil e rápida, mas que, apesar de não conter mais que o essencial, apresenta uma imagem global do percurso histórico a que se propõe a aclarar. Além disto, cada livro é escrito por um profissional diferente, nos permitindo uma visão resumida e sucinta, mas múltipla, do país selecionado. 


Obras da Coleção: Espanha, Grã-Bretanha, Índia Moderna, Rússia, Portugal, Estados Unidos, Alemanha, Itália, França e México. No prelo: Grécia, Japão, Mundo.
Read More

sábado, 21 de maio de 2016

"Tá todo mundo mal", livro da youtuber Jout Jout, já está em pré-venda

Do alto de seus 25 anos, Julia Tolezano, mais conhecida como Jout Jout, já passou por todo tipo de crise. De achar que seus peitos eram pequenos demais a não saber que carreira seguir. Em Tá todo mundo mal, ela reuniu as suas “melhores” angústias em textos tão divertidos e inspirados quanto os vídeos de seu canal no YouTube, “Jout Jout, Prazer”. 
Família, aparência, inseguranças, relacionamentos amorosos, trabalho, onde morar e o que fazer com os sushis que sobraram no prato são algumas das questões que ela levanta. Além de nos identificarmos, Jout Jout sabe como nos fazer sentir melhor, pois nada como ouvir sobre crises alheias para aliviar as nossas próprias. O livro tem lançamento previsto para o dia 24 de maio.
Jout Jout nasceu em 1991, em Niterói. Jornalista, ficou conhecida pelo seu canal no YouTube, com 750 mil seguidores. O vídeo “Não tira o batom vermelho”, sobre relacionamentos abusivos, teve 2 milhões de visualizações.

Conheça o canal de Jout Jout: http://bit.ly/1WCRMN9

Read More

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Música de Sexta - Phosphorescent

Música de Sexta é uma sessão semanal para mostrar algumas dicas musicais. A banda que escolhi é a quase desconhecida aqui no Brasil, Phosphorecent. A banda acompanha o cantor americano Matthew Houck. A música que escolhi, Song For Zula, faz parte da trilha sonora do filme Before We Go e me chamou a atenção pelo ritmo e pela letra maravilhosa. Depois disso foi vício, há umas três semanas tenho que ouvir todos os dias! Confira:

Read More

Brian Azzarello está confirmado para a CCXP 2016

Para a terceira edição da CCXP – Comic Con Experience (www.ccxp.com.br), está confirmada a presença do roteirista de quadrinhos americano Brian Azzarello, que, entre inúmeros projetos, integra a equipe criativa da HQ 100 Balas junto com o argentino Eduardo Risso, já anunciado como convidado da CCXP 2016. Seus roteiros incluem obras como Hellbalzer, Superman, Batman, Mulher-Maravilha e, mais recentemente, a série The Dark Knight III, junto com Frank Miller (que foi o convidado de honra da CCXP 2015).

Além de Azzarello e Risso, outros artistas estão confirmados na CCXP 2016, como Arthur Adams, Joyce Chin, Marcello Quintanilha, Frank Quitely, Yanick Paquette, Julian Totino, Mateus Santolouco, Max e Sebastián Fiumara. O evento acontece entre 1 e 4 de dezembro no São Paulo Expo. O primeiro lote promocional de ingressos, com o mesmo preço praticado em 2015, está à venda no site.
Imagem de 100 Balas, HQ autoral de Azzarello e Eduardo Risso premiada mundialmente
Natural de Cleveland, Ohio (Estados Unidos), Brian Azzarello iniciou sua trajetória nas histórias em quadrinhos escrevendo para a Northstar, e logo assinou com a DC Comics. Na editora, publicou na revista Weird War Tales uma história de Ares, em 1997. Em 1999, despontou para o estrelato ao juntar-se a Eduardo Risso para publicar a HQ 100 Balas, lançada pelo selo Vertigo (DC).

Além disso, Azzarello escreveu histórias do Batman (como Cidade Castigada, Coringa e Flashpoint – Batman: Cavaleiro da Vingança), Hellblazer e Superman (Pelo Amanhã). À frente dos dois principais heróis da editora, o artista ressaltou ao jornal Chicago Tribune em 2003: “A DC está me dando as chaves de ambos os carros na garagem, a Maserati e a Ferrari... Alguém me disse, ‘Não dirija bêbado’”.

Entre outros projetos, o roteirista escreveu o relançamento da série Mulher-Maravilha para o reboot Os Novos 52 da DC, dois capítulos de Antes de Watchmen (Comediante e Rorschach), e, atualmente, co-escreve o título The Dark Knight III: The Master Race com Frank Miller, obra em que também participam os celebrados artistas Andy Kubert e Klaus Janson.

Imagem de 100 Balas, HQ autoral de Azzarello e Eduardo Risso premiada mundialmente
“Para atestar a importância de Azzarello no mercado e na cultura dos quadrinhos mundiais, basta conferir as obras que assina e os artistas com quem atua em conjunto. Poucos podem se gabar de trabalhar com os maiores de todos os tempos”, ressalta Ivan Freitas da Costa, sócio da CCXP e curador da programação de quadrinhos do evento.

A 3ª edição da CCXP – Comic Con Experience acontece entre 1 a 4 de dezembro no São Paulo Expo, próximo à estação Jabaquara do Metrô, com conteúdos para fãs de quadrinhos, cinema, programas de TV, desenhos animados e outras áreas da cultura pop.
Read More

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Curta A Coisa Mais Linda do Mundo

Esse filme é um curta metragem que ganhou vários prêmios e se chama The Most Beautiful Thing, dirigido e criado por Cameron Covell. Fala sobre amor, acessibilidade e sobre o que é a coisa mais linda do mundo e como se manifesta.

Read More

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Convites das Editoras Novo Século e Pandorga

Oi gente! Nesse post eu mostro os convites para eventos, lançamentos, palestras e entrevistas, promovidos pelas editoras ou autores. Uma Boa semana para todos!



Read More

terça-feira, 17 de maio de 2016

O direito a uma pausa durante o dia

O livro O direito à preguiça, escrito por Paul Lafargue, publicado pela editora Edipro e traduzido por Alan Pierre Alban François, relata com excelência o pensamento do autor, que estudou o tema desde o início da humanidade. 

Para fortalecer seu pensamento sobre o direito ao ócio como caminho para a construção de um novo mundo, mais humanizado e feliz, Lafargue traçou um itinerário histórico das diversas visões sobre o trabalho até o momento em que foi escrito o seu livro, em meados do século XIX, e em meio às iniciais ideias socialistas, inspiradas no pensamento de Karl Marx e as transformações que vinham ocorrendo com o advento da Revolução Industrial. 

No livro, por meio de suas análises, é possível visualizar as profundas criticas ao padrão capitalista emergente, que inspirado nos princípios teológicos e positivistas, exploravam cada vez mais a força de trabalho. O autor acredita que esta atividade deve ser a essência do homem, proporcionando interação com a natureza e satisfazendo necessidades vitais, e não aquele que perde a condição humana e ganha forma de objeto mercadológico, o qual aceita qualquer situação para exercer a ocupação. 

Segundo Paul, a preguiça é uma virtude, um elemento fortalecedor do corpo e do espírito dos trabalhadores, pois diante dela, poderão denunciar a maldição do trabalho assalariado e expressar a necessidade de superação. Além do mais, acredita que a liberdade e o lazer da humanidade serão conquistados com a implantação volumosa de máquinas.
"Se, erradicando de seu coração o vício que a domina e avilta sua natureza, a classe operária se levantasse na sua força tremenda, não para reclamar os “Direitos Humanos”, que não passam de direitos da exploração capitalista, não para reclamar o “Direito ao Trabalho”, que não é senão o direito à miséria, mas para forjar uma lei de ferro que proíba a qualquer homem trabalhar mais de três horas por dia, a Terra, a velha Terra, transbordante de alegria, sentiria pulsar em si um novo universo... Contudo, como pedir a um proletariado corrompido pela moral capitalista tal resolução viril?"
O tradutor, Alan Pierre, realizou diversas pesquisas a respeito dos inúmeros nomes que o autor cita no livro. As referências foram seguras, de modo a ajudar o leitor brasileiro a entender melhor o contexto geral da época e acompanhar claramente a leitura. 

A contribuição de Lafargue é de suma importância nos dias de hoje, visto que diante do papel do trabalho na atualidade, suas ideias são dotadas de competência e originalidade, o que torna a leitura do seu livro uma atividade essencial para a compreensão das condições de vida e trabalho da população em um determinado contexto histórico. Além retratar exemplos que vão ajudar homens e mulheres a visualizarem a importância de aplicar o direito à preguiça nas corporações. 

Além do seu contexto irreverente, o livro recebeu uma “capa divertida” assinada por Paulo F Damasceno, diretor de Arte da DAVID (Agencia do grupo Publicis) e responsável por campanhas incríveis como Galeria em branco da Faber-Castell
Read More

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Release Confusões de um Garoto

Livro: Confusões de um Garoto
Autora: Patrícia Barbosa
Editora: Verus

Após as férias de verão, Zeca se olhou no espelho e não reconheceu quem estava refletido. Tinha crescido e mudado demais. Parecia outro garoto! O uniforme do colégio, que usava no ano anterior, nem em sonho cabia mais nele. Ser adolescente não é nada fácil! Além de lidar com a nova aparência, um bocado de perguntas provocava confusões em sua cabeça...
Por que as suas irmãs gêmeas falavam sem parar?
Por que, de repente, certas cosias não tinham a mesma graça?
Por que não conseguia deixar de pensar na Júlia, sua amiga de infância?
E por que o perfume que ela deixou no seu rosto o estava enlouquecendo?
Read More

sábado, 14 de maio de 2016

Homem x Leão: uma disputa por poder

As Armadilhas da Floresta, obra escrita pelo autor moçambicano Hélder Faife e ilustrada pelo também moçambicano, Mauro Manhiça, é lançamento do mês de maio da editora Kapulana. O livro traz aos leitores a bela história resgatada da tradição oral de Moçambique.
 
Nesta intrigante narrativa, homem e leão disputam a liderança na floresta. Cada um faz uso de artimanhas para vencer o outro até que a disputa é solucionada de maneira inesperada, com a participação de outro animal, o rato.

Numa dessas madrugadas, inesperadamente, os passarinhos sentiram-se desanimados e, quando o vento que vinha de muito longe, atravessando mares, montanhas e planícies, lhes soprou as penas avisando que ia amanhecer, não cantaram. Mantiveram-se calados como uma orquestra silenciosa. Assim, amanheceu sem que os mochos, os morcegos e outros animais noturnos tivessem ido dormir, e sem que os macacos, as gazelas e outros animais diurnos tivessem acordado.


Esse é o segundo volume da série Contos de Moçambique, composta por contos resgatados da tradição oral. O primeiro, O Rei Mocho, de Ungulani Ba Ka Khosa, com ilustrações de Americo Mavale, reconta outra tradicional fábula moçambicana originária dos sena – uma etnia do centro do país.
Read More

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Música de Sexta - James Taylor

Música de Sexta é uma sessão semanal para mostrar algumas dicas musicais. A dica de hoje é um clássico, e se você já não conhece e gosta, provavelmente os seus pais são fãs de James Taylor. O músico americano, de Boston, já está com 68 anos, e iniciou sua carreira em 1966. Entre os maiores sucessos deles estão You've Got a Friend, Carolina in My Mind, e a minha favorita, Fire and Rain:


Read More

Brasil e Portugal lançam acervo online de bibliotecas nacionais

Conhecer o acervo da Biblioteca Nacional de Portugal, incluindo originais da Torre do Tombo, que guarda arquivos históricos das navegações e da chegada dos portugueses ao Brasil, em Lisboa, já é possível sem precisar cruzar o Oceano Atlântico.


Por meio de uma parceria com a Biblioteca Nacional, o acervo das duas instituições está sendo digitalizado e colocado à disposição do público na internet. São milhares de títulos dos dois países, incluindo jornais e revistas, que podem ser acessados a qualquer hora do dia, de qualquer lugar do mundo. A expectativa é atrair cerca de 100 mil acessos por mês.


O material está reunido no portal Biblioteca Digital Luso-Brasileira, disponível a partir de hoje (10), com mais de 2 milhões de documentos, sob domínio público, de várias épocas e gêneros. Entre eles, a primeira edição de Os Lusíadas, de Luís de Camões, de 1572, e a Carta de Abertura dos Portos, de 1808, assinada pelo príncipe regente, Dom João de Bragança, quatro dias após a chegada da família real à Salvador.


“É a primeira iniciativa a reunir coleções de língua portuguesa, preservando o material – porque, no momento que você digitaliza, você evita o manuseio do original – e o mais importante, democratizando o acesso”, disse a coordenadora da biblioteca, Angela Bettencourt.


O acervo da Biblioteca Luso-Brasileira conta também com obras de 30 instituições de Portugal e mais 20 do Brasil, incluindo o Real Gabinete de Leitura, fundado por imigrantes portugueses no Rio, em 1837. O prédio é tombado pelo Instituto do Patrimônio Estadual.


Esta é a primeira vez que bibliotecas de países de língua portuguesa se juntam para disponibilizar seus acervos conjuntamente e buscam se igualar a outras iniciativas mundiais. Na Europa, a Biblioteca Digital Europeia – Europeana, tem o maior acervo digital do mundo, com mais de 53 milhões de títulos entre livros, desenhos, pinturas, mapas, vídeos e fotos.


De acordo com a coordenadora, o próximo passo é integrar acervos de países de língua portuguesa de outros países e o primeiro deve ser Moçambique. “Eles já vieram aqui fazer um estágio e, provavelmente, serão os primeiros a se juntar nesta iniciativa”. A Biblioteca Digital Luso-Brasileira foi concebida em software livre.
Read More

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Editora Alto Astral disponibiliza todo seu acervo de HQs no Social Comics

Agora os fãs de histórias em quadrinhos têm uma nova opção disponível no streaming Social Comics para leitura digital, graças à nova parceria com a Editora Alto Astral, empresa nacional que aposta cada vez mais neste segmento com títulos de franquias famosas da cultura pop. Logo de cara, o serviço de streaming disponibilizará todo o acervo de HQs da editora aos assinantes.
 

Entre os títulos, destacam-se as obras Assassin’s Creed – A Queda, de Cameron Stewart e Karl Kerchl e Nadine Thomas, RoboCop – Homem e Máquina, de Moreci Copland, e Hellraiser – The Dark Watch, baseado na obra-prima de Clive Barker.

“A Alto Astral tem muitos anos no mercado de revistas, e
recentemente iniciou sua operação de histórias em quadrinhos, além de diversos títulos em mangá. Nossa parceria ratifica a qualidade do acervo e o disponibiliza para um público mais abrangente”, comenta Marcelo Bouhid, diretor de marketing do Social Comics. Segundo ele, os assinantes terão alguns outros privilégios, como o acesso em primeira mão a alguns títulos pela plataforma antes do lançamento impresso, como as obras europeias Pen Dragon - Caçadores de Dragões (vol.1)  de Mika e Shogun Shonen, e Loving Dead - Amor Zumbi (Vol.1), de Stefano Raffaele.


Além das publicações desta editora, os assinantes também podem conferir mais de 1.500 histórias em quadrinhos no formato digital. Para ter acesso a todo acervo, basta assinar o Social Comics por R$ 19,90 por mês. A plataforma digital, lançada em 2015 e pertencente ao Omelete Group, tem o objetivo de fomentar a indústria nacional de Histórias em Quadrinhos, utilizando o mesmo conceito do Netflix, mas para HQs. Os usuários podem testá-la por 14 dias gratuitamente.
Read More

quarta-feira, 11 de maio de 2016

'Cidade em Chamas' chega ao Brasil depois de fazer barulho nos EUA


Nova York, 1976. O sonho hippie acabou, e dos escombros surge uma nova cultura urbana. Saem as mensagens de paz e amor e as camisetas tingidas, entram as guitarras desafinadas, os acordes raivosos e os coturnos caindo aos pedaços. Por toda a cidade brotam galerias de arte e casas de show esfumaçadas. 

É nesse cenário que Garth Risk Hallberg situa esta obra colossal, aclamada pela crítica como uma das grandes estreias literárias de nosso tempo. Combinando o ritmo de um thriller ao escopo dos grandes épicos da literatura, Garth Risk Hallberg constrói um meticuloso retrato de uma metrópole em transformação.

 os altos salões do poder às ruelas do subúrbio, ele captura a explosão social e artística que definiu uma década e transformou o mundo para sempre. Cidade em chamas é um romance inesquecível sobre amor, traição e perdão, sobre arte e punk rock. Sobre pessoas que precisam umas das outras para sobreviver. E sobre o que faz a vida valer a pena. 
Read More

terça-feira, 10 de maio de 2016

Como viver bem num ambiente de trabalho que faz mal

A vida profissional ocupa a maior parte do tempo de nossa existência. Assim, falar sobre trabalho é fundamental, pois envolve sobrevivência, relações de poder, dinheiro, ambição e equilíbrio com a vida pessoal. Há os que defendam que é preciso “jogar o jogo da empresa”, mas, o que fazer quando perdemos constantemente nesse jogo, de modo a prejudicar a nossa saúde física e mental?

Escrito por Gary Chapman, Paul White e Harold Myra, três autoridades quando o assunto envolve relacionamentos, desenvolvimento humano e negócios, Não aguento meu emprego, como viver bem num ambiente de trabalho que faz mal é fruto do contato com histórias de centenas de trabalhadores que reportaram aos autores suas experiências vividas no ambiente profissional. Como resultado, Gary, Paul e Harold criaram um livro curioso, útil e factual, que retrata os dilemas vividos por quem viu o dia a dia tornar-se um verdadeiro pesadelo.

A obra propõe-se a apresentar ao leitor estratégias de sobrevivência para reduzir as pressões e conservar a sanidade em meio a contextos profissionais desfavoráveis. Para isso, os autores conjugaram sábios conselhos, alicerçados em muitos anos de experiência no atendimento a pessoas e empresas, com histórias de colaboradores que tiveram de adquirir resiliência ao conviver com pessoas tóxicas e organizações problemáticas.

Os relatos verídicos aliados a conselhos práticos dos escritores permitem que o leitor analise diferentes cenários e atitudes, conflitos e resoluções e tenha uma quantidade de informações úteis a considerar antes de tomar qualquer decisão na vida profissional.

O livro possui ainda o “Guia de sobrevivência e kit de ferramentas”, uma série de conteúdos adicionais não só para quem está em meio à turbulência, mas para quem quer estar preparado caso algum imprevisto aconteça.

Indicado para quem está angustiado com a situação no dia a dia de trabalho e quer chegar a uma decisão firme, responsável e assertiva, os insights contidos em Não aguento meu emprego não apenas fortalecerá o coração e a mente do leitor para superar o momento, mas o conduzirão a um novo capítulo em sua vida.
Read More

Editora L&PM lança Obras Escolhidas

Na série Obras Escolhidas, a L&PM Editores traz aos leitores volumes com os títulos essenciais dos maiores nomes da literatura e do pensamento. Em primorosas edições anotadas, com textos de apresentação e novas traduções, o primordial da obra de autores como Fernando Pessoa, Friedrich Nietzsche, William Shakespeare, Franz Kafka tornam-se disponíveis para todos.

SHAKESPEARE: OBRAS ESCOLHIDAS 
William Shakespeare
Tradução de Beatriz Viégas-Faria


Se você acha que nunca leu William Shakespeare (1564- 1616), engana-se: versos, frases e expressões desse bardo inigualável banharam a língua inglesa e hoje habitam todos os idiomas e todas as culturas. Seus personagens com seus dramas – múltiplas facetas da condição humana – são conhecidos por virtualmente todas as pessoas: o torturado Hamlet, a inocente Desdêmona, o decadente Rei Lear, a frágil Ofélia, os maquiavélicos Iago e Lady Macbeth, o pusilânime Macbeth, o amargo Shylock, os enamorados Romeu e Julieta, entre tantas outras criaturas nascidas da mente desse gênio que desafiou os limites da criatividade humana.

Neste livro você encontrará uma excelente amostra da obra do autor: a história da trágica paixão entre Julieta Capuleto e Romeu Montéquio; a vingança de Shylock, agiota judeu; o drama de Otelo que, incitado por Iago, é cegado pelo ciúme; a ambição desmedida do general Macbeth, que comete o regicídio para usurpar o poder; e a romanesca história do mago Próspero, derradeira criação teatral do dramaturgo, considerada por muitos como a mais clássica peça shakespeariana.

KAFKA: OBRAS ESCOLHIDAS 
Franz Kafka
Tradução de Marcelo Backes

Se você acha que nada sabe sobre a obra de Franz Kafka (1883-1924), engana-se. Não é à toa que o termo kafkiano passou aos dicionários designando algo absurdo – e todo mundo já se sentiu preso numa situação surreal sem saber como isso aconteceu, como num pesadelo. Em grande parte aí reside a mágica da literatura desse autor tcheco de língua alemã: a capacidade de simular um sentimento de desamparo quase infantil diante de um mundo cheio de engrenagens incompreensíveis e indecifráveis, e, assim, tocar algo universal em todos nós.

Neste livro você encontrará uma boa amostra da literatura de Kafka: a influente novela A metamorfose , em que o protagonista se vê metamorfoseado num inseto; o mais conhecido de seus romances, O processo, em que o personagem principal (sugestivamente chamado K.) é preso de surpresa certo dia e levado a julgamento por pessoas suspeitas e instâncias inóspitas – sem que ninguém possa lhe informar por que está sendo julgado; e a excruciante Carta ao pai, desabafo escrito para o próprio progenitor – cuja força e falta de sensibilidade sempre atemorizaram Kafka – e jamais enviado.

NIETZSCHE: OBRAS ESCOLHIDAS 
Friedrich Nietzsche
Tradução de Renato Zwick, Marcelo Backes
Engana-se quem pensa que a obra do controverso e multifacetado Nietzsche é só para filósofos. Aforismos e ideias deste original pensador estão presentes no imaginário popular – tais como a teoria do super-homem e do eterno retorno– e têm influências duradouras na cultura ocidental. Ele não mediu palavras para criticar a religião e a moral de sua época, e o fez de forma metafórica, irônica, até mesmo ácida. Seus provocativos textos continuam a instigar os leitores, e o autor se revela um pensador vigoroso como poucos.

Neste livro você encontrará uma boa amostra da produção nietzschiana: em Além do bem e do mal: Prelúdio a uma filosofia do futuro (1886), o autor critica a metafísica e clama por uma avalição da realidade sem apelo a instâncias transcendentais e outras ilusões; em O anticristo: Maldição contra o cristianismo (1888), critica a moral cristã e conceitua o cristianismo como a vitória dos fracos; e Ecce homo: De como a gente se torna o que a gente é (também de 1888) – a mais difundida de suas obras –, constitui uma autobiografia sui generis, em que Nietzsche apresenta e comenta suas obras e sua própria importância.

FERNANDO PESSOA: OBRAS ESCOLHIDAS 
Fernando Pessoa
Organização de Jane Tutikian

Se você acha que nunca leu Fernando Pessoa (1888-1935), provavelmente está enganado: versos deste poeta singular, dono de uma imaginação ilimitada, estampam para-choques, camisetas, artigos de papelaria, sem falar na internet. Essa onipresença é típica da obra de Pessoa, que, além de escrever poemas sob seu próprio nome, imaginou heterônimos e semi-heterônimos – personagens com personalidade, biografia, estilo próprios – e sob o nome desses criou alguns dos mais belos poemas jamais escritos. Tanto é assim que sua obra resiste no tempo e rompe as barreiras da língua portuguesa, sendo conhecida e cultuada no mundo inteiro, por leitores e críticos.

Neste livro você encontrará o essencial de Fernando Pessoa: seu grande poema épico Mensagem, sobre Portugal e as navegações, publicado sob seu próprio nome em 1934, além da poesia completa dos seus três principais heterônimos: o pastor e mestre AlbertoCaeiro; o médico de estilo clássico Ricardo Reis; e o engenheiro naval com inclinação modernista Álvaro de Campos. 


Obras escolhidas: Mensagem, Poemas de Alberto Caeiro, Odes de Ricardo Reis, Poemas de Álvaro de Campos.
Read More

Conteúdo Relacionado

© 2011 Uma Leitora, AllRightsReserved.

Designed by ScreenWritersArena